Amigos do jazz + bossa

domingo, 30 de janeiro de 2011

SEXTA JAZZ



No dia 07 de janeiro de 2011 tive a honra de participar do programa Sexta Jazz, na Rádio Universidade FM (106,9 MHz). O convite partiu do meu amigo Augusto Pellegrini, produtor e apresentador que, há mais de 25 anos, empreende uma luta hercúlea em prol da divulgação do jazz no Maranhão. Para quem não sabe, Augusto, que também é um excelente cantor, é o autor do livro "Jazz: das raízes ao pós-bop", publicado pela Editora Códex. O bate-papo foi bastante informal e na seleção das músicas, feita por mim, marcaram presença gênios como Dave Brubeck, Lee Morgan, Bud Powell, Dexter Gordon, Lee Konitz e muitos outros. Espero que os amigos gostem e que, em breve, eu possa repetir a experiência.

============================

31 comentários:

pituco disse...

érico san,

tô ouvindo...tô curtindo...seleção bacanuda...já começa com mr.morgan...

precisamos de um programa de rádio...pode ser via web...com jazz+bossa...estórias, bate papos com músicos e claro...muito jazz

taí a sugestão...
abraçsonoros

Érico Cordeiro disse...

Mr. Seu Pituco,
Seja muito bem-vindo.
Sua idéia é genial - concordo e apoio incondicionalmente.
Em breve, creio que iremos ter surpresas. Depois do carnaval, é bem provável que esse seu amigo vire apresentador.
Mas isso ainda está sendo gestado. Como dizem no mundo dos negócios, ainda estamos nas conversas preliminares.
Espero que você tenha curtido todo o programa!
Abração viajante, no rumo de Pinheiro City!

APÓSTOLO disse...

Estimado ÉRICO:

Muito boa a seleção, participação para enobrecer qualquer horário de JAZZ.
Como é bom saber que o JAZZ vive em tantas geografias, como é bom saber que a QUALIDADE não tem fronteiras.
Parabéns ! ! !

Érico Cordeiro disse...

Mestre Apóstolo,
Seja mais que bem-vindo e muito obrigado pelas palavras gentis.
Você sabe, como poucos, como é a luta para divulgar o jazz. Imagina fazer isso em um programa de rádio há mais de 25 anos, em um lugar que, digamos, não é lá conhecido como a New orleans brasileira.
Augusto tem levado, com muita alegria e determinação, a bandeira do jazz e poder participar do seu programa é uma honra.
Prá você ter uma idéia, quem esteve lá, em pessoa, na sexta-feira passada foi a nossa Tânia Maria, que passou alguns dias em São Luís e deu uma entrevista pro Celijon e a fafá (minha comadre fez os contatos e os dois foram super bem recebidos).
Infelizmente, não pude ir, mas falei com a nossa diva por telefone (imagina a emoção).
Creio que o Celijon vai colocar um post, em breve, sobre essa tarde/noite mágica.
Um fraterno abraço!!!!

pituco disse...

érico san,

tãnia maria...vossa conterrânea e patrimônio musical...sou fãzão, não adianta...vire e mexe entre bossas e sutilezas, lasco um 'funk tamborim'...

grande pedida pras resenhas do nobre escrevinhador jazzeiro...ou não???

abraçsonoros

Érico Cordeiro disse...

Mestre Pituco,
Tive a honra de falar com ela por telefone - imagina só!!!!
Ela deu uma entrevista pros meus compadres Celijon e Fafá na sexta e foi ao programa do Augusto.
Quem sabe em breve ele não pinta no jazz + bossa?
Gosto muito do swing dela e vou começar a colher material prá pesquisa, ok?
Abração!

MJ FALCÃO disse...

Parabés, amigo Érico! Fiz-lhe uma pequena "homenagem" (citação compride...) no meu blog.
Vá ver...
Abraço e boa semana!
O falcão

http://falcaodejade.blogspot.com/2011/01/jazz-japao-e-estoicos-proposito-de-lew.html

Érico Cordeiro disse...

Cara MJ Falcão,
Acabo de retornar do Ninho do Falcão e confesso estar emocionado com sua generosidade.
Deixei lá um comentário e fico sinceramente tocado em poder estar naquele espaço tão acolhedor.
Um fraterno abraço e uma excelente semana prá você - de preferência com muita música e encantamento!

PREDADOR.- disse...

Pessoas como o Pellegrini merecem todos os nossos encômios, por lutar bravamente, tentando manter vivo o nosso tão apreciado jazz. Uma batalha árdua, principalmente hoje em dia, onde a predominância, na maioria das Rádios (tanto AM como FM) é de programas recheados com músicas de axé, baiana, funk, rebolation...e outras baboseiras, dignas de um "povinho sem cultura". Por aqui temos também o "nosso Pellegrini" que é o sr. Marien Calixte, jornalista, escritor, promotor musical, que nos brinda pela Rádio Universitária FM, com um programa de jazz, todas as segundas-feiras e há mais de 40 anos no ar, fato raríssimo de acontecer. Aliás, a idéia do Pituco é muito boa. Quanto a sua seleção musical, mr.Cordeiro, ainda não tive tempo de ouví-la, mas, fique certo de que, após cumprida esta etapa, emitirei minha opinião, "doa a quem doer". Pelos músicos citados, o repertório tem tudo para agradar. Por via das dúvidas estarei com o "detonador atômico engatilhado". Caso você tenha cometido algum deslize, prepare-se p'ro que vai acontecer!

Érico Cordeiro disse...

Brrr, que medo! Espero que a seleção seja do seu agrado, meu caro destruidor de planetas - nada de duos de contrabaixos, flautas de bambu vietnamitas, tambores de latão do Burundi, ukeleles ou berimbaus de quatro cordas!
Quanto ao Pellegrini, realmente é um abnegado, sempre a postos para levar o jazz às fronteiras mais longínquas.
Vivas a ele e a Marien Calixte!!!

.Edinho disse...

Caro Érico ,
Gostei da nóticia .
Hoje julgando e amanhã sendo julgado !
Será muito bom ter um juiz sendo julgado (riso's) pelas boas músicas de jazz que colocar na rádio. Uma pena não transmitir pro nosso sul-maravilha. Quem sabe futuramente !?! Maranhão, Rio e depois o mundo ! Eu apoio!!!


Abraços Sonoros !

Érico Cordeiro disse...

Mestre Edinho,
Por enquanto é só um projeto - na verdade, um "projeto de projeto" :-)
Mas, se tudo der certo, é possível que em breve eu esteja ajudando a divulgar o jazz - e a bossa nova, o choro e outras formas de música - pelas ondas do rádio.
Só quero ver o que o Predador vai dizer quando ouvir os programas - haja detonador atômico :-)
Abração!!!!

MaJor disse...

Érico quero cumprimentá-lo pela escolha do material, muito bom. Mais um tento na divulgação do jazz. E muito legal saber desse programa aí no Maranhão, e com 25 anos!! realmente sensacional. Aqui no Rio aparentemente uma cidade com enormes recursos em todos os aspectos, mas na cultura jazzística não é, o que havia de bom acabou e programas de rádio nem pensar só o do Tolipan que se segura na MEC sabesse lá como. Em Petrópolis quis tentar um programa na Rádio da Universidade Católica, mas simplesmente foi vendida, no Rio a rádio da Universidade Estácio há muito não existe, incrível como universidades desprezam tal veículo. Não só para jazz, mas para música e informação de todo tipo. Meus cumprimentos também para o Pellegrini, outro batalhador.
Abraços a ambos
Mario Jorge

Celijon Ramos disse...

Compadre, uma maravilha reouvir sua participação no Sexta Jazz, que, para aqueles que desejarem, também podem fazê-lo através da internet. Há um link no Soblônicas e também no blog de Augusto Pellegrini. Felicito-lhe pelo programa. A reclamar somente não não teres podido comparer à Varanda no domingo aqui em casa. Foi a melhor Varanda de todas: além de Celson, Júlio, Fleming, Jarbas,também desfilaram seus talentos: Salomão Di Pádua ( a varanda foi em sua homenagem), Lena Machado, Mila Camões e Augusto Pellegrini. Foi esta uma semana da felicidade que me deixou nas nuvens com toda a simpatia que Tânia Maria ofereceu a mim e a Fafá. Logo logo divulgaremos a entrevista que ela nos concedeu e também a audição de sua participação no programa Sexta Jazz. Estou muito feliz por esse encontro com Tânia e, principalmente, por tudo ter sido produzido e resolvido por Fafá, o que me deu bastante orgulho. A proveito a oportunidade para mandar um forte abraço ao nosso Apóstolo. Saiba que você nos deixa grandes saudades. Minha torcida é para que em breve possamos novamente nos reunir. Poderia ser aqui em São Luís, não?!

Érico Cordeiro disse...

É isso aí, meu caro MaJor.
Você conhece a fundo os problemas que são colocados para quem quer romper com a mesmice dos grandes veículos de comunicação, massificantes e deseducadores.
No rádio, tão importante outrora e tão desprezado hoje em dia, os espaços são minguados e só abnegados como o Tolipan e o Augusto (salvo outras raras exceções que pontuam pelo país) insistem em divulgar o jazz.
Obrigado pelas palavras generosas e tomara que eu possa abrir mais uma "tincheira" jazzística (confesso que estou torcendo muito para que o projeto vá adiante).
Abração!

Érico Cordeiro disse...

Compadre, postamos os comentários simultaneamente!
Eu também fiquei feliz e super satisfeito com a "aventura" que você e minha comadre empreenderam.
Estar ao lado de uma cantora das mais brilhantes, pianista notável e grande figura humana como a Tânia Maria deve ter sido uma emoção enorme.
Parabéns aos dois por terem conseguido esse feito, que orgulha toda a confraria do jazzbarzinho.
Infelizmente, não pude voltar à Varanda, mas não vão faltar oportunidades. Legal que tudo deu certo e a energia positiva da Tânia ficou no ar, para deleite de todos nós.
Um beijão pra ti, pra comadre e pros meninos!

APÓSTOLO disse...

Grande CELIJON:

Com certeza não faltarão oportunidades para nos revermos. Se for nessa nossa terra maranhense maravilhosa, de tantas glórias, tradições, letras, versos e brasilidade, ainda melhor.
Saude, paz e até já.

PREDADOR.- disse...

Quem sou eu para julgar um juiz. Após ouvir atentamente a sua seleção jazzística, mr.Cordeiro, achei muito bem elaborada e sem nenhum deslize, provando o seu bom gosto musical e mostrando sua preferência pelo jazz clássico. Quanto ao seu "projeto de projeto", vá em frente, porque sem muita luta não há batalhas conquistadas. Por outro lado devo dizer-lhe que gosto também de bossa nova, chorinho e outros tipos de música. Só não admito misturas. Tenho certeza de que em breve "as ondas do rádio" contarão com mais um divulgador da "não mesmice", oferecendo uma contribuição muito grande para a melhora da nossa cultura musical. Se eu gostar ou não, "são outros quinhentos", que não deverão merecer a mínima consideração por parte do estimado Meretíssimo.

Érico Cordeiro disse...

Caros Apóstolo e Predador,
O jazzbarzinho agradece as ilustres presenças.
Ao primeiro, digo logo que será muito bem recebido em nossa Atenas Brasileira, com todo carinho e atenção que merece - tomara que esse dia não demore!
Ao segundo, fico aliviado de ter escapado do detonador atômico - e obrigado pelo apoio. Qualquer espaçozinho para a divulgação da música de qualidade deve ser bem comemorado!
Um fraterno abraço aos dois!

APÓSTOLO disse...

Estimado ÉRICO:

Gosto não se discute, concordando ou não; cada um forma o próprio com sua cultura, experiências, hábitos de ouvir, de ler, de apreciar pintura, poesia, de oportunidades havidas de desfrutar momentos, enfim, gosto é assunto tão pessoal que, em muitas ocasiões, opinar sobre essa ou aquela escolha, esbarra no respeito à diversidade.
Todavia e pelos comentários que tive oportunidade de ler até hoje do "PREDADOR", não tenho a menor dúvida de que se trata de CIDADÃO DE EXCELENTE GOSTO MUSICAL, nada "predatório" e sempre direto em suas colocações.
Assim, ter como comentarista habitual esse CIDADÃO, sómente enobrece seu espaço e ajuda a todos nós = vida longa para ele e seu detonador ! ! !

Érico Cordeiro disse...

Mestre Apóstolo,
O Predador é patrimônio histórico e cultural do Jazzseen que, generosamente (ou maldosamente, dependendo dos critérios de Predatória, onde não existem ets bonzinhos) dá o ar de sua destruidora presença aqui no jazzbarzinho.
É o nosso Pedro de Lara, faz cara de mau mas tem um grande coração (embora sempre estaja com o dedo no gatilho para detonar quaisquer deslizes).
Só não peça para ele ouvir um concerto de Vijay Iyer, Lage Lund, John Patitucci, Brian Blade, David Sanchez, Mike Moreno, Alex Sipiagin, Lina Allemano, Saskia Laroo e Eric Truffaz, secundados de oboé vietnamitas, flauta doce indiana, tamborins de Botswana, berimbaus tailandeses e reco-recos do Tadjiquistão! Aí o nosso alienígena vira bicho!
Abração!!!!

María Cueto disse...

no se hablar portugues! pero queria agradecerte por tu contacto y tu mensaje. ya te agrego como amigo y pongo el link a tu blog en mi blog.
espero que podamos armar algo musical juntos!
un saludo muy grande desde argentina!
Maria Cueto

Andre Tandeta disse...

Erico,
atendendo a pedidos , deixo aqui meu pitaco mas primeiro peço desculpas por não ter vindo mais ,ando bem ocupado e seus posts são verdadeiras peças literarias que exigem tempo e calma para ler e refletir.
Mas aos poucos vou aparecendo e trazendo meu "barrco" com o Predador pra ca. Segura a onda que e' das grandes.
Programa dos mais bacanudos, como diria Mestre Pituco.
Abraços
Abraço

Andre Tandeta disse...

E' "barraco", melhor ,ou pior, dizendo.

Érico Cordeiro disse...

Caros Maria e Tandeta,
Legal ter no barzinho dois artistas - uma cantora extraordinária e um dos nossos mais talentosos bateristas, ambos devotados ao jazz!
Gostaria de parabenizar a primeira, pelo bom gosto na escolha do repertório e pela belíssima voz, e agradecer pela presença aqui no blog. Seja muito bem-vinda e se junte à nossa confraria brasileira de amantes do jazz. Quem sabe não conseguimos trazê-la para alguns shows no Brasil? :-)
Vou colocar um link aqui no jazz + bosa, ok?
Quanto a você, meu caro tandeta, arrume um tempinho para vir ao barzinho, seja prá tomar um chopp e bater um papinho ligeiro. As polêmicas com Mr. Predador são impagáveis - imagino essa dupla se deslocando prum show, com o alienígena carregando seu kit de bateria!!!!
Abraços fraternos aos dois e saludos!!!!

PREDADOR.- disse...

Com tantas citações nos blogs Jazz+Bossa, Jazzseen e Jazzigo, acho que vou ter que criar um blog especialmente para respondê-las. Aí,certamente vocês dirão: o Predador está se achando! Fiquem tranquilos que isto NÃO vai acontecer. Aproveito para agradecer as palavras elogiosas de Mr.Apóstolo (menos mr.Apóstolo, menos), e para dizer que ele, em seu post de 2/2, sintetizou de maneira brilhante e concisa, sôbre um ponto primordial: respeito ao gosto de cada um (em qualquer área da vida). Baseado nessa premissa, procuro direcionar meus comentários, promovendo uma defesa radical em prol do jazz clássico, além de minhas "brincadeiras espaciais" e aparente ranzinzice.
Quanto a mr.Tandeta, creio que temos o mesmo temperamento de "bateu, levou". (Acho que poderiamos até denominá-lo de Predador II). Nossos "barracos" já ficaram para trás. Divergimos, é certo, mas tudo dentro de uma cordialidade, sem ofensas ou falta de respeito, como deve sempre ser.
Finalizando, agradeço a mr.Cordeiro, pela utilização de seu precioso espaço.

Anônimo disse...

Sempre ouvia o SextaJazz mas não conhecia o Augusto.Até que tomei a iniciativa,entrei em contato e pedi que fizesse uma homenagem a Carmen Mcrae.Fui até seu encontro e lhe entreguei vários discos da Carmen para que colocasse na rádio.Uma grande pessoa!
Infelizmente por falta de tempo, pouco acompanho seu programa como antes fazia.

Prubem!

Érico Cordeiro disse...

Caros Predador e "Anônimo" (se desejar, por favor, se identifique e se junte à nossa confratia virtual, ok?),
Sejam muito bem-vindos.
Ao primeiro, só digo que o jazzbarzinho não seria o mesmo sem a sua excelsa presença.
Ao segundo, o Augusto lembrou da hostória e ficou muito feliz de saber que o trabalho dele tem ajudado a agregar tanta gente em torno do jazz. Ele criou um blog e o link está disponibilizado ao lado.
Um grande abraço aos dois.

Andre Tandeta disse...

E' ,Predador, agora voce me deixou realmente imobilizado, seriam os efeitos da pistola de raios.
Acho que as vezes eu exagero mas o Predador ,com sua mente intergalatica, superior a de um simples humano, percebe e fica penalizado com as minhas demonstrações de falta de sensibilidade, digamos assim pra quebrar meu galho.
Olhe ,Predador, eu sei que voce gosta tanto de jazz quanto eu e se as vezes(ou quase sempre) eu chamo voce de chato pode ter certeza que e' no puro espirito de "turminha" e voce ,claro, ja percebeu que não sou pareo pra voce.
Elvin Jones a parte, tamo junto!
Abraço

Maysa disse...

Querido primo

Saudades!!!
O rio de janeiro continua lindo. Quando vens por aqui?
Assisti ao show da Eliane Faria , no Cariocando, na quinta. Um maranhense chamado Juca do Cavaco deu uma canja. Você o conhece? Disse que vive em S. Luiz.
Ah! Aqui em Santa, no Bar dos Descasados- Hotel Terèse- todo Domingo , à tardinha tem jam-session.
Vou acompanhar às terças tua dica na rádio MEC. bj
Maysa

Érico Cordeiro disse...

Caros Tandeta e Maysa,
Sejam muito bem vindos.
Realmente, esse Predador é uma figura! O blog fica uma tristeza sem ele - e além do mais, é seu fã de carteirinha, apesar das eventuais desavenças.
Prima, não conheço o Juca do Cavaco, mas meu compadre Celijon, que tem muitos amigos no meio musical maranhense certamente conhece. Quanto a uma viagem ao Rio, a vontade é grande. Quem sabe em breve?
Queria muito lançar o livro por aí, mas me faltam contatos (o Tandeta chegou a sugerir a Modern Sound, mas, infelizmente, a casa fechou as portas).
Se você tiver algum contato por aí, me dá um toque, ok? (barzinho, livraria, etc.)
Aí aciono meus amigos cariocas - você, o Sérgio, a Valéria, o Tandeta, o pessoal do CJUB, etc - prá ver se conseguimos fazer um evento bacanudo.
Um grande abraço aos dois!

Google Analytics